quarta-feira, novembro 08, 2006

Não se excite


Durante o debate parlamentar de ontem, em que se discutiu a proposta do governo para o orçamento de Estado do próximo ano, ouvi o primeiro ministro Sócrates dizer, repetidamente, frases como "Ó senhor deputado, não se excite", "Não percebo a excitação do senhor deputado" e outras dentro do mesmo estilo.
Fosse eu deputado e teria feito ver a Sócrates que isto não é linguagem digna para um debate na Assembleia da República, demonstra falta de respeito pelas instituições democráticas e pelos deputados em geral, apouca e rebaixa o nível do "diálogo democrático".
Se, numa discussão com alguém que me seja próximo, me responderem "não te excites", o mais provável é mandar imediatamente esse alguém bardamerda. Mas isso sou eu, que não estou investido em funções de Estado.
O problema é, creio, a falta de classe, de educação e de raciocínio da maioria dos deputados. A língua portuguesa oferece inúmeros recursos para que uma discussão se possa travar em tom cortês e civilizado. "Não se excite" é uma expressão rasca. Como rascas são a maioria dos nossos deputados e, pelo menos ao nível da linguagem, o nosso primeiro ministro. Estão bem uns para os outros.

Etiquetas: , ,

7 ComentÁrios:

Blogger Harpic disse...

O comment irresistivel:

Oh Ranys, nao te excites!

08 novembro, 2006 14:22  
Anonymous Anónimo disse...

Vai-se ao dicionário e aprende-se que «excitar-se» quer dizer «exaltar-se», «irritar-se».

Quem acha que num debate político um termo como esse é inapropriado deve recolher-se a um mosteiro.

Isto obviamente nada tem que vem com simpatia ou antipatia pelo Sócrates.

08 novembro, 2006 14:41  
Anonymous errata, anonymous disse...

Nada tem que VER

08 novembro, 2006 14:42  
Blogger Nelson disse...

ó ranys, nem foi tanto assim. A coisa na TV ficou um bocado mal montada, mas ouvindo o debate no Parlamento ouvia-se a algazarra nas bancadas e o Sócrates a pedir respeito aos outros e a dizer coisas como "senhor deputado, eu estou a falar, cale-se. Quando tiver a palavra pode dizer o que quiser" e, dado o nível de ruido no momento, foi um boca muito bem mandada. as faltas de respeito no debate de ontem foram um bocado bipartidas. é pena, porque só tínhamos todos a ganhar com um debate construtivo, mas isso seria o mesmo que pedir aos dirigentes do nosso futebol para não lançarem farpas uns aos outros. seria um milagre.

08 novembro, 2006 14:53  
Blogger El Ranys disse...

Mas quem é que estabeleceu conotações sexuais com o estado de excitação, anónimo?
Escusava de se ter dado ao trabalho de ir ao dicionário.

Ouviu o debate?
Acompanhou os contextos em que o PM falou da excitação dos deputados?
Achou apropriado, correcto e respeitador da dignidade que aquela câmara merece?
Acha que o nível do discurso, da retórica argumentativa que se ouve na Assembleia da República, é o correcto?
Se quiser, pode voltar ao dicionário à procura de uma resposta.

08 novembro, 2006 14:58  
Anonymous Anónimo disse...

Onde vislumbrou Vexa, que dispensa o dicionário, conotações sexuais no meu comentário?

Se calhar, o melhor mesmo será consultar o dicionário.

08 novembro, 2006 15:30  
Blogger El Ranys disse...

Bom, então não sei porque me brindou gentilmente o anónimo com as definições de "excitar-se" plasmadas nos dicionários. Acaso pensou que não lhe conheceria o significado?
Paraceu-me que me estava a querer dizer que "excitar-se" podia nada ter a ver com "exaltação sexual" e, por isso, não seria "rasca". Afinal, queria mesmo ensinar-me o que quer dizer "excitar-se".
Prende-se à palavra, mas sobre a essência continua sem nada dizer.
É preciso alguma paciência. Mas vou já escrever novo post sobre o assunto.

08 novembro, 2006 16:20  

Enviar um comentário

<< Home