quarta-feira, junho 21, 2006

Coisas do carrilho...


Creio que sempre que li num jornal uma notícia sobre a qual eu estivesse minimamente informado detectei falhas, discrepâncias, umas ligeiras incorrecções. Nada de muito grave, enfim.
Hoje foi publicada uma notícia sobre um assunto que eu domino bastante bem. Essa notícia não contém ligeiras inverdades. Toda ela é falsa. Tão evidentemente falsa para quem está a par dos factos que se torna quase risível, de tão tonta.
Na verdade, numa segunda análise, ela de tonta não tem nada. Apesar de fazer uma grande misturada de alguns factos e embrulhá-los de uma forma perfeitamente inepta, esta notícia destila veneno. E tresanda a encomenda. Ele há coisas do carrilho! O jornalismo económico é fedorento e basta apontar um dedo para manchar uma reputação. Filhos da puta. Vendidos. E incompetentes, ainda por cima.

Etiquetas:

7 ComentÁrios:

Blogger Varanda disse...

Pois, ainda bem que o jornalismo económico é assim tão bom, porque o politico...
E dizias tu que "Finalmente fui a África. Nunca lá tinha ido, apesar de já lá ter vivido."
Correcção: Ainda vives!

21 junho, 2006 11:25  
Blogger Varanda disse...

Gosto desso adjectivo: fedorento ;-)

21 junho, 2006 11:31  
Blogger Rantas disse...

Infelizmente acho que tens razão... há coisas em que mais parece que estamos em África, ou num país da América Ltina...

22 junho, 2006 01:56  
Blogger Dever Devamos disse...

e então qual é a notícia? fico sem saber!

23 junho, 2006 12:05  
Anonymous OldBase disse...

Epá, oh Rantas...

Também achei a notícia um disparate jornalistico, cheia de erros e por aí adiante.

Mas, na verdade, se a notícia tem sido bem contadita, a coisa até podia ser pior, hein?! É que nós sabemos que aquilo até tem história...

23 junho, 2006 18:18  
Blogger Rantas disse...

Old Chap, essa afirmação levar-nos-ia longe... mas creio que o ponto de chegada da conversa não iria coincidir com a intenção que revelas ao deixares aqui este comentário tão letal...

24 junho, 2006 00:42  
Anonymous OldBase disse...

Caríssimo,

Sem recentimentos. :)

A intenção era mesmo mostrar o meu desagrado pela forma péssima como o artigo estava escrito. Muito embora com algum material para trabalhar, a senhora só mostrou a falta de profissionalismo na forma como escreveu.

27 junho, 2006 13:29  

Enviar um comentário

<< Home